Epígrafes

EPGF_01[1]

Cultura, Reflexão e Entretenimento

Epígrafes é um talk show idealizado e apresentado por mim, no ar na internet por duas temporadas, entre 2016 e 2018. A produção era uma parceria com a DT Filmes, de São Paulo (SP).

O programa se propunha a debater temas atuais com convidados de áreas diversas, tendo sempre como pano de fundo uma frase extraída de alguma obra literária, com força e representatividade de uma epígrafe, na interpretação do apresentador.

A linha editorial do Epígrafes baseava-se na reflexão consistente de questões relevantes, de interesse público, num bate-papo ágil e descontraído, porém profundo. Nesse sentido, Mituti e convidados abordaram temas como amor, artes, morte, vaidade, pensamento, política, futebol, música, sociedade, adoção, religião, silêncio, afetos, literatura e resistência. Assuntos mais técnicos, como marketing, empreendedorismo, gestão do tempo e produtividade também pautaram a atração.

Durante sua exibição, o Epígrafes recebeu nomes do cenário independente e figuras consagradas em suas respectivas áreas de atuação. Na primeira temporada, destaque para as entrevistas com o filósofo Luiz Felipe Pondé, o jornalista e poeta Vladir Lemos, o apresentador e publicitário Milton Neves, o âncora Ricardo Boechat, o jornalista Juca Kfouri, o cantor Nasi, o cronista Xico Sá, o ator Leopoldo Pacheco, o narrador André Henning, a juíza Dora Martins, os escritores Ricardo LísiasPedro Bandeira e João Anzanello Carrascoza, o empresário Ernesto Haberkorn, fundador da TOTVS, o palestrante Christian Barbosa, principal autoridade do Brasil em gestão do tempo, produtividade e alta performance, a Monja Coen e o livreiro José Luiz Tahan, da Realejo Livros, de Santos (SP), idealizador e organizador do festival Tarrafa Literária.

Em 2018, Mituti entrevistou o premiado chef Jefferson Rueda, proprietário do restaurante A Casa do Porco Bar, em São Paulo (SP), a ex-atleta olímpica Lais Souza, o humorista Oscar Filho, o vice-presidente da FecomercioSP Ivo Dall’Acqua Junior, o ex-secretário da Economia da Cultura do Ministério da Cultura Mansur Bassit, o publicitário Fernando Musa, presidente do Grupo Ogilvy Brasil, o ex-presidente da Fundação Biblioteca Nacional Galeno Amorim, o ex-ministro Ozires Silva, fundador da Embraer, a médica e aventureira profissional Karina Oliani, o então presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Luís Antonio Torelli, o então gerente de Aquisição de Conteúdo da

Amazon no Brasil para a plataforma Kindle, Ricardo Garrido, a jornalista e escritora Carol Sandler, especialista em finanças pessoais e consumo consciente, e o cineasta de narrativa imersiva Ricardo Laganaro, Chief Storytelling Officer da Arvore Immersive Experiences e uma das principais autoridades do Brasil em realidades virtual, aumentada e mista.

Dos autores que inspiraram os papos com frases transformadas em epígrafes, destaque para Jorge Luis Borges, Machado de Assis, Julio Cortázar, Fernando Pessoa, Ruy Barbosa, Bruce Springsteen, Nelson Rodrigues, Jean-Luc Godard, Augusto Cury, Pedro Bandeira, Afonso Arinos, Valter Hugo Mãe, Dalai Lama, Antoine de Saint-Exupéry, Umberto Eco, Mia Couto, Alex Bezerra de Menezes, Hermann Hesse, Lya Luft, José Ortega y Gasset, Luc de Clapiers – o Marquês de Vauvenargues –, L. Frank Baum, Michel de Montaigne, Júlio Dinis, Gustave Flaubert e Eça de Queiroz.

O Epígrafes era veiculado quinzenalmente, às quartas-feiras, às 19h. Todas as 41 edições produzidas podem ser assistidas no YouTube.

Uma versão em áudio do programa também foi retransmitida quinzenalmente, às sextas-feiras, no programa Movimento, da Rádio Jornal de Pernambuco, e semanalmente, na Rádio Mega Brasil Online. Todas as edições do Epígrafes encontram-se disponíveis no formato podcast em plataformas como Spotify, iTunes, Google Podcasts e SoundCloud, entre outras.

Epígrafes Pocket
Durante a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, realizada em agosto de 2018, Ricardo Mituti produziu e apresentou uma série especial em dez episódios, intitulada Epígrafes Pocket, gravada durante o evento.

Veiculada logo após a Bienal e em formato videorreportagem, a série Epígrafes Pocket consistiu na gravação de entrevistas curtas, de pergunta única, com nomes de peso de diversos segmentos da Cultura brasileira. E tudo baseado numa mesma epígrafe, de autoria do sociólogo Antonio Candido, considerado o mais proeminente dos críticos literários do País, morto em 2017.

Passaram pela Epígrafes Pocket na Bienal 2018 os cartunistas Mauricio de Sousa e Ziraldo; os escritores Fabrício Carpinejar, Sidney Nicéas, Thalita Rebouças e Eva Furnari; e o humorista Hélio de La Peña. Celso Lafer, ex-ministro e imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL); Eduardo Giannetti, economista, escritor e professor; Walnice Nogueira Galvão, ensaísta, crítica literária e primeira assistente de Antonio Candido; e Bernardo Gurbanov, presidente da Associação Nacional de Livrarias (ANL), complementaram a série.

Financiado com recursos próprios, o Epígrafes deixou de ser produzido no final de 2018. Embora aprovado nas leis federal e municipal de São Paulo de incentivo à cultura, o programa não obteve aportes que permitissem a continuidade de sua viabilização.

O projeto está temporariamente engavetado, mas segue vivo. Assim, produtoras audiovisuais e pessoas físicas ou jurídicas interessadas em apoiar a produção de uma nova temporada do Epígrafes podem escrever para [email protected].

Confira meu canal no YouTube